Tiros-MG

Tiros, pode até ser uma marca minúscula no mapa e causar estranhamento em quem ouve seu nome, mas entre a junção desses dois valores, há uma corrente de fatos que percorrem os anos de 1590 aos anos de 2019. Não são somente 429 anos, são lugares e povos que germinam o pulso da aventura, da hospitalidade e do sonho, sempre em marcante transformação. Diante disso, reuni alguns dos momentos que construíram e fazem parte desta história para contar para vocês:

Tudo começou mesmo quando um garimpeiro, de nome Alferes Manoel, veio a se instalar no Sertão do Abaeté, e isso mudou a história. Porque ele veio atrás de minérios. E na Mata da Corda, como era conhecido o lugar, falavam que o ouro jorrava pelas minas.

O que é curioso é que ele trouxe o filho junto, que se chamava Antônio Gomes Batista, o responsável por encontrar a maior e mais bela pedra brilhante que já tinham visto.

Tudo começou mesmo quando um garimpeiro, de nome Alferes Manoel, veio a se instalar no Sertão do Abaeté, e isso mudou a história. Porque ele veio atrás de minérios. E na Mata da Corda, como era conhecido o lugar, falavam que o ouro jorrava pelas minas. O que é curioso é que ele trouxe o filho junto, que se chamava Antônio Gomes Batista, o responsável por encontrar a maior e mais bela pedra brilhante que já tinham visto.

Isso mudou tudo e acabou transformando o lugar em um verdadeiro quartel. O que não adiantou muito, porque a guerra foi inevitável. Soldados e garimpeiros perderam a vida em uma sangrenta batalha, onde se apagou de vez aquele Areado, que recebeu o nome de Córrego de Santo Antônio de Tiros.

Foi com as várias pedras preciosos que foram encontradas, que muitas famílias puderam comprar suas sesmarias e aqui se instalar. Assim, foi criado o distrito. E posteriormente, em 1867, sendo mais exato, foi criada a Freguesia de Santo Antônio de Tiros, que virou Vila Velha um tempo depois.

Mas nisso, a população que vivia na antiga cidade, se viu enfrentando um abalo sísmico que afetou a região pelas fortes chuvas, e os moradores foram obrigados a reverter a situação e criar uma cidade nova.

Feito isso, era hora de tornar o município independente, e isso aconteceu com a ajuda de um novo morador, o Sr. Leôncio Ferreira, que fez um abaixo assinado chegar a Assembleia Legislativa. O projeto foi aprovado e a sanção foi realizada em 7 de setembro de 1923. No ano seguinte, em 10 de fevereiro de 1924, com grande festa, Santo Antônio de Tiros teve a sua instalação oficial.

Atualmente, Tiros possui características de uma cidade que vive em tempos modernos: belas construções arquitetônicas, resultado do processo de emigração para os EUA, apresenta um fluxo variado de meios de transportes, acesso a tecnologia tanto no campo, como na zona urbana. Mas, sem perder suas tradições religiosas, festas culturais…

O povo daqui é muito hospitaleiro, e nas festas vemos isso ainda mais presente. Para mim, por exemplo, sem sombra de dúvidas, a Festa do Tirense Ausente, sempre realizada no feriado de setembro, é a que mais representa este povo.

Na educação tirense, temos um verdadeiro reconhecimento por muitos que aqui estudaram até concluir o Ensino Médio. Da escolas, saíram incontáveis alunos que se tornaram grandes profissionais e conquistaram o sucesso por esse Brasil a fora. A importância da educação é imensurável, pois ela é responsável pela propagação do conhecimento; como também dos valores, da cultura e de tudo mais que se encontra no coração de um povo.

A cidade de Tiros é linda e o município, o quanto é grande. São vários lugares para se conhecer.

Igreja São José - Canastrão

Aqui, temos a Região do Espia com suas festas; Região do Canastrão pelas suas histórias; o famoso Córrego do Jacú, com suas cachoeiras e por aí vai. Encantadores lugares, que por sinal, se misturam na vegetação.

A região se destaca pela pecuária leiteira, que proporciona o “pão de cada dia” da maioria que nessas terras tirenses habitam. Pela produção de grãos, principalmente, soja e milho, e pela criação de suínos, ovinos e bovinos de corte, além do relevante crescimento de peixes nos tanques de sítios e de fazendas e da criação de aves.

Aqui temos receitas fáceis, de preferência preparadas no fogão a lenha e temperadas com muito afeto. Eis a essência da cozinha tirense, que inclui o famoso “João Deitado”, mais comum no mês de setembro, sendo com certeza o tradicional pão de queijo de Tiros. Você precisa experimentar.

Acho que um grande divertimento para todos no momento, talvez seja o futebol. O esporte tem a capacidade de integrar crianças e jovens das comunidades da nossa sociedade, transformar suas vidas e reduzir os preconceitos e estereótipos, além do Tirense Futebol Clube ser a paixão de muitos por aqui.

Falar da cidade e não falar sobre a política, é deixar grande parte da história para trás. Mas sinceramente, acho que mais do que nunca, precisamos estar preparados para mudar e ver a mudança acontecer. A nossa Tiros está caminhando para o seu centésimo ano. E quando chegarmos lá, porque não vermos ela ainda melhor?! Mas para isso, é preciso que cada um de nós façamos a nossa parte. Porque a nossa cidade merece.

Cachoeira do Jacú
Cachoeira do Jacú

Por fim, na vivência dos tirenses há fé, trabalho, descanso e lazer. Afinal quem não merece também um pouco de descanso? Depois de tanto cavar e cavar para encontrar um tesouro, nossos heróis do século XVIII nem imaginaram que essa região se transformaria no que temos hoje: Uma terra de amor, vida, paz e prosperidade. Com tudo isso, só me resta dizer, que eu amo meu município. Por isso eu levo Tiros no Coração.

Igreja Matriz de Santo Antônio de Tiros

Eis aqui e assim, Tiros! Terrona abençoada por Deus. Quem chega não mais se vai e quem parte sempre volta. Como resultado, onde está, Tiros está também.

Acompanhem com exclusividade o documentário "Tiros no Coração", produzido como presente de aniversário para a nossa cidade de Tiros (que no último dia 10, comemorou 94 anos de emancipação). Porque assim como todo tirense, seja presente ou ausente, levamos com orgulho a nossa cidade no peito, no coração, para onde formos… #TirosNoCoração

Posted by Luiz Henrique Gontijo on Wednesday, February 14, 2018
Clique acima e acompanhe essa história na voz de vários tirenses, inclusive esse que aqui escreve, no documentário: “Eu levo Tiros no coração”

Desenvolvido por: Latere Web